Blog

El Baño del Papa: Exibição gratuita + Bate-papo

“O Banheiro do Papa”, El Baño del Papa, coprodução França-Uruguai-Brasil, é um filme dirigido por Cesar Charlone e Enrique Fernández. Ambientado na cidade de Melo, em 1988, trata da saga de um contrabandista uruguaio fronteiriço que vislumbra, na visita que o Papa fará ao Uruguai, uma possibilidade de mudar de vida.

A trama trata também da vida familiar e social dos personagens que circundam o protagonista. Não sendo um filme definível como “pesado”, ainda assim contém as características que acompanham boas obras cinematográficas: abordagem de questões humanas profundas, fotografia primorosa, elenco muito competente, ritmo, montagem e roteiro impecáveis. Entre muitos outros prêmios, recebeu o de Melhor Filme no Festival de Gramado e na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Será a segunda exibição do ciclo “Para poder falar”, que o CineBuñuel promove ao longo deste primeiro semestre de 2017 e que trata de temas considerados tabus.

Neste caso, a obra cinematográfica levanta várias lebres de forma concomitante: fé religiosa, contrabando, violência doméstica, opressão social, abuso policial, entre outras.

Como é praxe, após a exibição do filme acontecerá um bate-papo com todas as pessoas presentes.

As exibições do CineBuñuel acontecem no Auditório Elke Hering, localizado na Biblioteca Universitária da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), em Florianópolis, SC, Brasil.

O QUÊ:

Exibição do filme “El Baño del Papa”, com bate-papo após a exibição.

QUANDO:

25 de abril de 2017, às 14h

QUANTO:

Entrada gratuita

ONDE:

No Auditório da Biblioteca Universitária da UFSC

Trailer (legendado em português):

Algumas cenas:

Cartaz original:

el_bano_del_papa-489565163-large

Cartaz em português:

banheiro-do-papa-poster01

Cartaz de divulgação do CineBuñuel:

Cine Buñuel cartaz El Baño del Papa 25 abr

 

Te doy mis ojos

          Cansada da violência e dos constantes abusos praticados por Antonio, seu marido, Pilar decide sair de casa com o filho nos braços. Assim começa o filme espanhol Te doy mis ojos, de 2003. O tema da violência doméstica já havia sido tratado pela diretora Icíar Bollaín em um curta-metragem de 2000 chamado Amores que matan. No longa, porém, a diretora amplia o escopo e aguça o foco: Pilar oscila entre as instâncias do marido, que luta para reconduzi-la à rotina conjugal, e as advertências da irmã sobre os padecimentos deste alegado amor de talhe perigoso.

          Te doy mis ojos não expõe somente a dura realidade dos fatos, bastante clara para o espectador, mas os conflitos emocionais de Pilar e Antonio, a ilusão de uma transformação interna e do outro a fim de denegar a impossibilidade dos próprios ideais, e o fruto disso, uma sensação de angústia que nos acompanha durante todo o curso da história. Amor e ódio, dependência e possessão, tormentos físicos e psicológicos são temas abordados na trama.

Veja mais:

http://cultura.estadao.com.br/noticias/cinema,pelos-meus-olhos-discute-a-violencia-contra-a-mulher,232454

http://www.revistacodice.es/publi_virtuales/i_con_h_mujeres/documentos/comunicaciones/comuMedelBao.pdf

te_doy_mis_ojos_iciar_bollain

Te doy mis ojos

          Cansada de la violencia y de los constantes abusos practicados por Antonio, su marido, Pilar decide huir de casa con su hijo en brazos. Así empieza la película española Te doy mis ojos, del 2003. El tema de la violencia domestica ya había sido expuesto por la directora Icíar Bollaín en un cortometraje del 2000 llamado Amores que matan. Sin embargo, en el largometraje la directora amplia la perspectiva y agudiza el tema: Pilar titubea entre los ruegos de su marido, que lucha por regresarla a la rutina conyugal, y las advertencias de su hermana sobre los padecimientos de este dicho amor de ceño peligroso.

          Te doy mis ojos no expone solamente la dura realidad de los hechos, bastante clara para el espectador, como también los conflictos emocionales de Pilar y Antonio, la ilusión de una transformación interna y del otro para seguir eludiendo la imposibilidad de los propios ideales, y el producto de eso, una sensación de angustia que nos acompaña durante todo el curso de esta historia. Amor y odio, dependencia y posesión, tormentos físicos y psicológicos son temas planteados en la trama.

Y más:

http://elpais.com/diario/2003/01/31/cine/1043967610_850215.html

http://www.muchomasquecine.com/documentos/material/3_Tedoymisojos.pdf

Lançamento do Ciclo “Para poder falar”: Mar Adentro

No 1º semestre de 2017, o Cine Buñuel promoverá um ciclo dedicado a abordar temas que são considerados tabu. Para inaugurar a proposta, realizaremos a exibição do filme “Mar Adentro”, dirigido por Alejandro Amenábar e protagonizado por Javier Bardem, que aborda a delicada questão da eutanásia.

O quê: Exibição do filme “Mar Adentro”, com legendas em português do Brasil, seguida de bate-papo.

Quando: terça-feira, 11 de abril de 2017, às 14h.

Quanto: Entrada gratuita.

Onde: Auditório Elke Hering, na Biblioteca Universitária da UFSC.

Trailer:

CineBunuel11deabrilMarAdentro_alter_corrigido

 

Cartaz original:

343541